Rostos

O rosto humano é fascinante. A face é fortemente expressiva, mesmo quando pensa que está a fazer o contrário. Alguém já teve medo de olhar face-a-face uma pessoa? Vergonha, receio? Às vezes, não olhar diretamente no rosto de alguém é algo belo de se ver. Noutras, é algo que esconde uma insegurança, a incapacidade de sustentar o que se pensa, o que se quer do outro. Não há forma mais severa de controle do que o olho-no-olho.

Tenho uma colega, na verdade uma ex-chefe minha (uma professora), que olhava com tanta “ousadia” (no sentido positivo) para sua sala de aula, ou durante uma reunião (quando outros estavam apresentando), que achava aquilo nobre, digno, corajoso. O professor olha sempre para seus alunos? Olha efetivamente nos olhos de seu aluno? O que tal olhar diz? O que seu olhar diz?

A face indica deslumbramento, ou tédio; vontade de invadir sua alma, ou medo dela; presença, ausência; proximidade, distanciamento. Nem sempre tenho coragem de olhar fixamente para o olhar de meus alunos. Tenho medo do que vou encontrar. Ou então alguma relutância sobre o que devo estar a expressar.