Meu livro do ano

Que passou. Mas talvez seja deste também, vamos ver. O autor de verdade não é o que aparece na capa. Parece que é uma mulher, formada em biologia, mas que criou o canal no Youtube que cito bastante, recentemente. Havia achado inicialmente que era um caderno de reflexões de alguém da geração “millennial”, o que me fez pensar sobre o que seria uma versão atual do clássico A morre de Ivan Illich. De qualquer modo, prova-se que, para captar um espirito de época (ou do que é ser humano em certos contextos), não é preciso ser jovem ou velho.